Guia do Eletro – Seu aliado na hora de equipar a casa!

Facebooktwittergoogle_pluspinterest

Quando algum equipamento elétrico velho já não tem mais concerto, pensamos: “Bom, agora é só comprar outro”, não é mesmo?

Porém o “só comprar outro” pode dar um bom trabalho. Isso porque hoje existem diversas opções no mercado, com produtos cada vez mais desenvolvidos para atender nichos específicos, ou seja, grupos de consumidores com as mesmas necessidades.

Isso tornou a escolha de equipamentos para a casa muito mais difícil. Como no Brasil esses itens ainda são relativamente caros devido aos impostos sobre a produção, uma escolha errada pode gerar um prejuízo considerável e um grande período de stress.

E é nesse ponto que o Guia do Eletro vai te ajudar!

A diversificação dos eletrodomésticos também dificultou o processo de escolha (Fonte Img: gazetadopovo.com.br)

Esse site tem a missão de buscar na internet os melhores eletrodomésticos e eletroportáteis para diferentes perfis de consumidor, através de uma análise pautada em 3 etapas

1ª Etapa: Identificação de perfis

A primeira fase da análise do Guia do Eletro consiste em levantar quais os diferentes tipos de consumidor que desejam adquirir a categoria de produto a ser analisada.

Nessa etapa são levados em consideração fatores como o tamanho da família, tipo de uso, poder aquisitivo, e outras informações relevantes para delimitar a qual grupo de consumidores cada modelo da análise será destinado.

Exemplos:

Na análise de lavadoras de roupas, leva-se em consideração principalmente o tamanho da família. Aparelhos de 8 litros são indicados para famílias pequenas, de 10 a 13 litros para médias, já os de 15 litros para famílias grandes.

Nessa análise são contemplados obrigatoriamente três equipamentos de tamanhos diferentes, tanto para famílias pequenas quanto para as famílias mais numerosas.

Famílias grandes demandam equipamentos maiores (Crédito Img: depositphotos.com)

Já na análise de liquidificadores e batedeiras, o poder aquisitivo é o principal fator que delimita o perfil do consumidor.

Como existem poucas diferenças em relação a tamanho e performance, o que irá determinar a escolha serão fatores como tecnologias extras e qualidade de construção.

Quanto mais recursos e materiais de qualidade, maior o preço. Por isso, nesse tipo de analise são contemplados aparelhos de menor preço, de preço intermediário e também os de categoria premium.

Simples vs Premium: Diferentes necessidades dependendo do poder aquisitivo

2º Etapa: Avaliação dos usuários

Os maiores varejistas virtuais brasileiros possuem áreas de avaliação em que os donos dos produtos anunciados podem opinar. Normalmente, esse sistema de avaliação é composto por uma nota de 1 a 5, e um campo de comentário.

Essas avaliações são o ponto principal em que o Guia do Eletro se pauta para indicar um produto

Isso porque, ao gastar seu tempo para comentar sobre o item adquirido, essas pessoas estão ajudando de forma autêntica e voluntaria outras pessoas que têm dúvidas, incentivando a compra de um equipamento de qualidade, ou alertando para modelos ruins ou propaganda enganosa.

O fato de um aparelho possuir mais avaliações do que a média geral significa primordialmente que ele é um sucesso de vendas, o que já é um bom sinal. Se desse total, a maioria dos usuários tiverem dado notas 4 ou 5, a chance do modelo em questão ter qualidade são muito altas.

Muitas avaliações positivas significam que o produto é um sucesso de vendas (Fonte Img: americanas.com.br)

Para confirmar a boa avaliação, o Guia do Eletro analisa os comentários. Se a maioria deles for um comentário de agradecimento, ou exaltando pontos positivos do aparelho adquirido, o produto em questão é levado para a terceira e última etapa da análise.

Seção de comentários: Onde os usuários descrevem suas experiências pessoais com o produto anunciado (Fonte Img: americanas.com.br)

3ª Etapa: Diferenciais

Após uma pré-seleção de modelos que satisfaçam perfis de consumidores diferentes, e a verificação da opinião dos donos desses aparelhos, inicia-se a etapa de desempate.

E esse desempate se dá através da análise dos diferenciais. Várias características podem ser consideradas como diferenciais. Dentre elas, as que mais se destacam são:

  • Tecnologias Inovadoras
  • Qualidade de Construção
  • Preço Competitivo
  • Baixo Consumo de Energia
  • Acessórios

Eficiência energética é quase sempre um diferencial (Fonte Img: consumidormoderno.com.br)

Após essas 3 etapas, são selecionados no mínimo 3 e no máximo 4 produtos, que são considerados pelo Guia do Eletro como os melhores do mercado

Esse número é considerado ideal por que não restringe demais, e nem oferece um leque muito aberto de opções, o que ao invés de ajudar, só deixaria o consumidor com ainda mais dúvidas.

Porém essa análise não é estática. O Guia do Eletro pode fazer substituições caso seja constatado que o modelo em questão saiu de linha, ou se no futuro surgirem aparelhos mais bem avaliados e com melhores diferenciais no mercado.

Ajuda para você fazer um bom negócio!

O Guia do Eletro também está em constante busca do menor preço e melhor condição de pagamento para cada produto analisado.

O site está sempre mapeando as lojas online mais confiáveis da internet brasileira para encontrar as melhores ofertas do momento:

  • Ponto Frio
  • Casas Bahia
  • Extra
  • Americanas
  • Submarino
  • Shoptime
  • Walmart
  • Magazine Luiza
  • Ricardo Eletro
  • Carrefour
  • Polishop
  • Girafa

Lojas online: Na grande maioria dos casos é mais vantajoso comprar pela internet! (Fonte img: dicasdadisneyeorlando.com.br)

Comprando através dos links abaixo de cada produto analisado, você ajuda o Guia do Eletro a trazer mais análises que irão facilitar a compra de equipamentos novos para a sua casa.

Confira abaixo uma relação de análises que já realizadas, e aproveite para encontrar o modelo que mais se adequa as suas necessidades!

Cozinha

Lavanderia

Limpeza Doméstica

Ar e Ventilação

Cuidados Pessoais

 

Agora que você já sabe como é o processo de análise do Guia do Eletro, que tal descobrir como surgiram e se popularizaram os eletrodomésticos?

A origem dos eletrodomésticos

Atualmente, não conseguimos imaginar nossas vidas sem uma geladeira, um microondas, uma máquina de lavar ou um liquidificador. Os eletrodomésticos são hoje uma condição essencial para a vida cotidiana.

Eletrodomésticos e Eletroportáteis: Fundamentais para a vida em sociedade (Fonte img: lbv.org)

Mas nem sempre foi assim, já que esses aparelhos dependem da energia elétrica, que só começou a chegar aos lares de países desenvolvidos no final do século XIX.

Mas afinal, como surgiram os primeiros eletrodomésticos?

Ao final do século XIX, a eletricidade era considerada o ápice da modernidade. Na Europa e nos Estados Unidos, as pessoas eram constantemente surpreendidas com as “mágicas” que eram possíveis com esse novo tipo de energia.

Thomas Edison e a lâmpada incandescente: Uma das grandes invenções proporcionadas pela eletricidade (Fonte img: seuhistory.com)

Porém, naquela época, ainda não existiam aparelhos elétricos suficientes que justificassem o investimento de governos e empresários para que esse tipo de energia estivesse presente em todas as casas.

Foi ai que as primeiras empresas responsáveis por distribuir energia nos EUA e na Europa acharam uma saída para criar demanda por eletricidade: fabricar produtos que utilizassem energia elétrica e que fossem essencialmente para uso doméstico, ou seja, que pudessem estar na casa de qualquer pessoa.

Anúncio de refrigerador: A popularização do eletrodoméstico criaria a demanda pra vender eletricidade as casas (Fonte img: announcingit.com)

E foi nesse cenário que foram criados os primeiros equipamentos elétricos de uso doméstico

Os primeiros eletrodomésticos começaram a ser inventados e patenteados por volta de 1880, paralelamente a chegada da energia elétrica nas casas.

Aparelhos que hoje são presença garantida em residências de todo o mundo começaram a surgir logo após esse período, sendo que o ápice de invenções e lançamentos comerciais ocorreu entre as décadas de 1890 e 1930. Destacam-se:

  • 1893 – A torradeira elétrica é inventada;
  • 1901 – O ferro de passar elétrico leve começa a ser vendido;
  • 1901 – O aspirador de pó portátil é inventado;
  • 1901 – A primeira lavadora de roupas automática é levada ao mercado;
  • 1908 – A cafeteira elétrica começa a surgir em lojas dos EUA;
  • 1910 – A General Eletric lança o primeiro refrigerador elétrico doméstico;
  • 1910 – A KitchenAid traz as lojas a primeira batedeira doméstica;
  • 1910 – O termostato dos fornos elétricos é criado;
  • 1913 – A primeira lavadora de louças é introduzida no mercado;
  • 1920 – Mais de duzentas marcas de geladeira já eram vendidas nos EUA;
  • 1924 – Aparelhos de ar condicionado começam a ser utilizados com fins domésticos;
  • 1931 – Mais de 3 milhões de ferros de passar já haviam sido vendidos desde 1912;

Geladeira do inicio do século XX (Fonte img: completenostalgia.com)

O mercado brasileiro de eletrodomésticos

Até a década de 1940, basicamente todos os eletrodomésticos vendidos no Brasil eram importados, com exceção dos produtos de alguns fabricantes locais, como os da marca Protus, fabricados pela Companhia Brasileira de Eletricidade (CBE).

Durante a Segunda Guerra Mundial esse cenário começou a mudar. Com mais recursos sendo investidos na indústria bélica, o mercado de eletrodomésticos acabou sendo deixado de lado pelos empresários americanos, o que resultou num decréscimo considerável das exportações.

Fábrica da Chrysler em Detroit reconfigurada para fazer tanques (1942): Deslocamento das indústrias tradicionais para o ramo bélico durante a segunda guerra (Fonte img: mashable.com)

Uma demanda cada vez mais crescente e uma oferta reduzida aqueceu o mercado brasileiro, o que fez surgir grandes indústrias por aqui, a maioria delas de caráter familiar.

Dentre essas empresas, as que tinham mais destaque eram a Brastemp, criada em 1954 em São Bernardo do Campo (SP), como um braço da então Brasmotor, e a Consul, fundada em 1950 na cidade de Joinville (SC), que começou suas atividades em um pequeno galpão de 680 m².

Primeiro refrigerador Consul: Ainda movido a querosene, o Q-300 foi lançado na década de 50 (Crédito img: Consul)

Brastemp, Consul e outras empresas familiares dominaram o mercado de eletrodomésticos brasileiro até meados da década de 1990, quando houve a abertura da economia para a instalação de fábricas estrangeiras em solo brasileiro.

Propaganda da Brastemp, no ano de 1974:

Desde então, grandes conglomerados internacionais dominam as vendas de eletrodomésticos no Brasil, sendo que muitas empresas brasileiras foram adquiridas por esses grupos. O exemplo emblemático desse movimento é o da americana Whirpool, que adquiriu a Consul e a Brastemp.

Outros grandes players desse setor no Brasil atualmente são a sueca Electrolux, as coreanas Samsung e LG, a japonesa Panasonic e a americana General Eletric.

Neste cenário se inserem também os eletroportáteis. Duas grandes empresas brasileiras reinaram nesse setor nas décadas de 50 e 60: Arno e Walita. Ambas foram adquiridas por grupos estrangeiros, sendo a Walita pelos holandeses da Philips em 1971, e a Arno pelo grupo francês SEB em 1997.

Eletroportáteis Walita e Arno: Lembranças da casa da vó (Fonte img: mercadolivre.com.br)

Outros grandes players desse setor no Brasil são a espanhola Mallory, a americana Black & Decker e as brasileiras Mondial e Britânia.

O futuro

Desde a invenção do motor elétrico e o surgimento dos eletrodomésticos modernos existiram poucas inovações de ruptura nesse seguimento. Ou seja, foram inventados poucos equipamentos que mudam o jeito como as pessoas vivem.

Se compararmos a evolução da indústria de eletrodomésticos com a de informática (PC, notebook, tablets) ou com a de telefonia (celulares, smartphones), vamos perceber que os produtos que nossas vós utilizavam funcionam basicamente como os de hoje, com exceção de algumas modernizações eletrônicas.

Mudança de hábitos: Setor de telefonia trouxe inovações que mudaram o jeito como as pessoas vivem (Fonte img: fatosdesconhecidos.com.br)

Mas esse cenário certamente irá mudar

Duas revoluções estão prestes a invadir esse mercado, o que vai ajudar a mudar radicalmente a forma como as pessoas usam equipamentos domésticos: a internet das coisas e a robótica.

Casas conectadas

A internet já é utilizada no meio doméstico, principalmente na automatização de casas de alto padrão.

O acionamento de portões, portas, lâmpadas, câmeras de segurança, e outros componentes dessas casas já estão ligados a internet, e podem ser controlados e operados remotamente através de smartphones e tablets.

Casas de alto padrão já possuem automatização pela internet (Fonte img: blog.allo.ua)

Mas em um futuro bem próximo, todos os aparelhos de uma casa estarão ligados a internet, o que é chamado hoje de “internet das coisas”.

Geladeiras, fogões, microondas, máquinas de lavar e quase todos os outros equipamentos de uma casa possuirão conexão com a internet. Isso irá possibilitar que esses eletrodomésticos sejam controlados remotamente, além de se tornarem mais “espertos”.

Eletrodomésticos conectados serão populares em pouco tempo (Fonte img: energiainteligenteufjf.com)

Essa “esperteza” está no fato de que será possível enviar informações da internet direto para os aparelhos.

A programação ideal para descongelar um pernil de bisão canadense poderá ser enviada diretamente ao microondas, a forma ideal de lavar uma camisa de algodão persa diretamente para a máquina de lavar, e a temperatura ideal para manter o gelato caseiro italiano diretamente para o freezer.

Aparelhos domésticos serão mais “inteligentes” (Fonte img: universodomotica.com.br)

Além de tornar o uso mais assertivo e personalizado, a internet das coisas irá também reduzir os gastos com manutenção. Os fabricantes poderão incluir softwares modernos em seus aparelhos, já que poderão enviar atualizações periódicas via rede, o que aumentará a vida útil de componentes eletrônicos.

O passo a frente dessa revolução: A robótica

Especialistas são categóricos em afirmar que no futuro, atividades domésticas como recolher o lixo, arrumar a cama e o quarto, passar roupa ou até mesmo cozinhar serão de exclusividade dos robôs.

Existirão robôs para cada uma dessas tarefas, que irão ser parte integrante da vida em sociedade, assim como um fogão ou uma geladeira são hoje.

Revolução: Robôs serão responsáveis por tarefas cotidianas, como cozinhar (Fonte img: oko.by)

E essa revolução já está começando. Muito comum no Japão e em outras partes da Ásia, o robô aspirador é um dos primeiros equipamentos robotizados a se tornar popular. Trate-se de um disco com diversos sensores, que “passeia” pela casa aspirando o chão.

Futuro chegando: Robôs já são capazes de aspirar a casa sozinhos

Nessas regiões do planeta, graças a um robô, varrer o chão, o que talvez seja um dos hábitos de limpeza mais antigos que existem, já está se tornando algo do passado.

Esse foi um breve relato histórico e uma visão de futuro que o Guia do Eletro te trouxe sobre os eletrodomésticos. Mas para quem se interessa pelo assunto, ainda há muito a explorar!

Facebooktwittergoogle_pluspinterest